Desventuras do xixi do gato fora do lugar

Há poucos meses, tive uma experiência incrível oferecendo lar temporário. Mas minha aventura não acabou ali, depois de algum tempo, fui apresentada ao xixi fora do lugar e como estou resolvendo isso é o que vou contar para vocês!

Minha vida anda assim: Pablito, 10 anos, obeso, problema renal, artrite, artrose, gordura no fígado, preguiçoso, rabugento e carinhoso.

Ruby, 4 anos, é a gata mais fera da vida! Tanto, que o rapaz que trabalhou aqui esses dias a apelidou carinhosamente de “Perigosa”. Mas pensa em uma gatinha que não dá o mínimo de trabalho, desde que você não encoste nela, é claro.

E no meio disso tudo estava faltando um tipo pra “coleção” felina, então chegou o Bento que se tornou o gato mais sapeca e amoroso da vida!!

Logo que ele chegou era retraído, magrelo e doce. Mas agora que passamos 3 meses da adoção ele se tornou um espoleta mijão, com o perdão do palavriado.

Os dias após a castração
Até a castração, necessária e obrigatória por diversas questões de saúde, filhotes indesejados e bem-estar do animal, ele não tinha o menor problema em fazer xixi na caixinha de areia. Logo após a castração ele ficou preguiçoso para o xixi. E o que fizemos sobre isso?

O primeiro passo foi levá-lo ao veterinário. Eu o levei a um veterinário diferente do que realizou a castração, pois foi feita em um mutirão de castração. Esse médico já acompanha os nossos outros gatinhos. Ele concluiu que a castração foi bem feita e não há problemas clínicos, ou seja, é pura sapequice dele.

Em seguida, concluímos que a única solução é adestrar esse gato sapeca. Não pensei duas vezes e gritei pelo nosso amigo e parceiro Paulo Cesar Pinto, adestrador da Cão Cidadão, que me deu as seguintes dicas:

Caixa de areia no local onde ele faz xixi – então, o lugar escolhido pelo Bento foi minha cozinha, que lindo! O Paulo me disse para colocar a caixa de areia lá e aos poucos ir afastando até o local desejado. 3 dias depois de almoçar sentindo cheiro de cocô, observei que a Ruby e o Pablito estavam usando a caixa ao invés de usar a outra caixa que fica na área de serviço. E o Bento? Seguiu fazendo no chão, AO LADO da caixa de areia.
Usar um produto que tem um cheiro que os felinos não gostam – a escolha foi o famoso Vick Vaporub, conhece? Nem eu gosto desse cheiro, mas a Ruby amou. Amou em um grau que lambeu tudo do chão e o que sobrou, deitou, rolou e guardou nos pelos para lamber depois, conclusão: o teste acabou ali!
Eu deveria ter insistido mais na caixa de areia na cozinha. A educação não acontece assim do nada, é preciso paciência e tempo. 3 dias é muito pouco para reeducar um animal, seja gato ou cachorro.

Produtos de adestramento
Depois dessas derrotas, me considero ter perdido a luta, mas não a guerra. Até porque o xixi continua sendo feito na minha cozinha. Com isso, descobri produtos interessantes que têm me ajudado nessa tafera.

O primeiro deles foi o Pro Cão – Educador Sanitário. Esse eu comprei no site da Cobasi e foi baratinho, paguei R$13,90 (compra feita em maio de 2019). Mas ele também é vendido em diversas pet shops do país.

Leave a Reply